Posts

06

Publicada a Lei n. 13.097/2015, tornando definitiva a instituição do princípio da concentração de dados nas matrículas de imóveis

Foi publicada em 20/01/2015 a Lei n. 13.097/2015, que converteu a Medida Provisória n. 656/2014, tornando definitiva a instituição do princípio da concentração dos atos de matrícula para imóveis.

Em vigor de o dia 07 de novembro, a norma da Medida Provisória n. 656/2014, convertida na Lei n. 13.097/2015, estabelece que as informações sobre pendências jurídicas de um imóvel ou de seu proprietário sejam registradas, averbadas ou noticiadas junto à sua matrícula.

Atendida a legislação, deixará de haver a necessidade de verificação de existência de ações na justiça que comprometam o imóvel em negociação. A medida tem por objetivo desburocratizar os procedimentos e aumentar a segurança das operações de compra e venda.

Após 30 dias da publicação da Lei n. 13.097/2015, começará a contar o prazo de dois anos para que sejam providenciadas para as adaptações que se fizerem necessárias nas matrículas dos imóveis, para que todos os atos pretéritos estejam registrados, sob pena de ele não mais constituir elemento que possa tornar ineficaz a operação de compra e venda.

De acordo com informações divulgadas pelo Ministério da Fazenda, durante este período as certidões negativas dos imóveis e de seus vendedores continuarão sendo exigidas, uma vez que não há como ter certeza de que todos os registros e averbações anteriores à MP foram anotados na matrícula. (Fontes: Secovi/RS e Exposição de Motivos da MP 656/2014).

Cartórios gaúchos têm quatro dias para informar dados de imóveis pertencentes ao Estado

O prazo para que os cartórios gaúchos informem as matrículas de todos os imóveis pertencentes ao Estado termina no dia 15/09/2014.

Na 1ª Zona de Registros de Imóveis da Capital, três funcionários se dedicaram à pesquisa por 40 dias. Encontraram mais de 200 casas, terrenos, apartamentos e prédios do Executivo, da Assembleia, do Judiciário e de empresas estatais.

A busca abrangeu apenas um pedaço de Porto Alegre.

Existem 220 cartórios de registros de imóveis no Rio Grande do Sul. (Fonte: Zero Hora, 11/09/2014)